A Compra Garantida Estante Virtual é uma garantia de que você receberá a encomenda ou o reembolso do valor da sua compra. Saiba mais aqui.

  • 1.350 sebos e livreiros
  • Qualificações positivas dos livreiros
  • Maior acervo do mundo em língua portuguesa
filtros
Uma Hora para Viver uma Hora para Amar Capa ilustrativa

Estatísticas de venda deste livro

Último vendido Nos últimos 3 meses
Vendidos
Preço médio R$ " + data.stats.mean + "
Menor preço R$ " + data.stats.min + "
Maior preço R$ " + data.stats.max + "

Esta informação aparece apenas para usuários logados como livreiros.

Uma Hora para Viver uma Hora para Amar

5 livros novos e 4 livros usados em 5 vendedores

Exibindo todas as publicações encontradas. Filtre pelas mais recentesRemover filtro
Uma Hora para Viver uma Hora para Amar

Uma Hora para Viver uma Hora para Amar

Ano:   Editora: Rocco

Tipo: seminovo/usado

BARATAO DOS LIVROS BARATAO DOS LIVROS MG - Belo Horizonte
99% Positivas
126 qualificações
R$ 9,90 + frete R$ 6,53

Total: R$ 16,43

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro em Perfeito estado de conservação, Sem nada que atrapalhe ou Rasure a leitura ou o entendimento do livro. Folhas sem grifos, rasgos ou rasuras. Livro em estado Semi-Novo/ Quase novo. Sem detalhes. Capa conservada!

Uma Hora para Viver uma Hora para Amar

Uma Hora para Viver uma Hora para Amar

Ano:   Editora: Rocco

Tipo: seminovo/usado

Horizonte Livros Navi Venda Nova Horizonte Livros Navi Venda Nova MG - Belo Horizonte
91% Positivas
96 qualificações
R$ 10,00 + frete R$ 6,53

Total: R$ 16,53

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro em brochura em bom estado de conservação

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Ano:   Editora: Rocco

Tipo: seminovo/usado

Livraria Diálogo e Cultura2 Livraria Diálogo e Cultura2 RJ - Macaé
99% Positivas
147 qualificações
R$ 10,00 + frete R$ 8,05

Total: R$ 18,05

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro em bom estado de conservação.

Uma Hora para Viver uma Hora para Amar

Uma Hora para Viver uma Hora para Amar

Ano:   Editora: Rocco

Tipo: seminovo/usado

Cia do Saber Cia do Saber SC - Florianópolis
100% Positivas
106 qualificações
R$ 12,00 + frete R$ 6,53

Total: R$ 18,53

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Brochura. 66 pags. Formato: 14X16.5X0.5 cm. Livro em bom estado. Capas e lombada conservados. Cortes levemente sujos. Miolo bem conservado, livre de grifos e rasuras. Contra capas com pequenos pontos de oxidação. Sinopse: Ele era considerado um dos melhores especialistas em felicidade e redução de estresse no mundo com seus livros da série Não faça tempestade em copo dágua. Repentinamente Morto, em dezembro de 2006, Richard Carlson pegou a todos de surpresa, em especial uma pessoa: sua esposa, Kristine. Uma hora para viver, uma hora para amar é a resposta póstuma e apaixonada de Kristine àquele que considera o melhor presente... Imagem Ilustrativa. Verificamos cuidadosamente o estado do livro, mas por se tratar de um artigo usado, é passível de algum detalhe não descrito. Tag 6544

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Ano:   Editora: Editora Rocco

Tipo: novo

Editora Rocco Editora Rocco SP - São Paulo
R$ 18,00 + frete R$ 6,05

Total: R$ 24,05

Comprar ler descrição ocultar

Descrição

Richard Carlson é autor dos best-sellers que compõem a série Não faça tempestade em copo d’água, todos publicados pela Editora Rocco. Kristine Carlson foi sua esposa por 21 anos, até que uma embolia pulmonar o matasse subitamente, em 2006, interrompendo a trajetória feliz de Richard, não apenas como o autor que conquistou milhões de fãs nos quatro cantos do mundo, mas como o marido extremamente companheiro e pai amoroso, aos 45 anos de idade.

O objetivo principal dos livros de Richard Carlson foi transmitir às pessoas a arte de diminuir a tensão nas várias situações da vida: na família, no trabalho, na adolescência, nos relacionamentos em geral. Juntamente com Kristine, escreveu Não faça tempestade em copo d’água no amor, baseado na experiência do casal que se empenhou em evitar que a rotina matasse o amor, perseguindo a fórmula ideal de se manter um relacionamento estimulante ao longo dos anos.

Durante o tempo em que viveram juntos, Richard adquiriu o hábito de escrever cartas para Kristine e uma delas lhe foi presenteada três anos antes de sua morte. Em um pacote com um grande laço de fita dourada, colocado sobre o colo de Kristine, ela pôde ver o título: “Uma hora para viver: para quem você ligaria, e por que está esperando?” , complementado pela dedicatória: “Para Kris, o amor da minha vida, em nosso 18o aniversário de casamento” .

Kristine conta que o marido tinha lágrimas nos olhos quando lhe entregou o presente e temeu que ele estivesse despedindo-se ou em vias de confessar-lhe algo terrível, como uma doença terminal. Mas era apenas uma declaração de amor. Ele começa seu texto dizendo que “não” faria ligações, aparentemente importantes, para o seu consultor financeiro, o gerente do banco, seu advogado ou um credor. E, em seguida, dá início à sua amorosa confissão com esta frase: “Não, se eu tivesse apenas uma hora de vida e pudesse fazer apenas uma ligação, ela seria para a minha parceira de vida, Kris” .

O que teria levado Richard a escrever esta carta? Seu sentimento de gratidão, certamente. E também sua capacidade de estimar o valor do outro para sua própria vida. Contrariando a crença popular de que só se valoriza o que se perde, o autor soube avaliar a importância de sua companheira e, de certa forma, preparou-a para viver a sua perda. Não que isto tenha aliviado a dor de Kristine, mas ajudou-a na elaboração do luto, com a consciência do quanto ela e as duas filhas, Jasmine e Kenna, foram tão verdadeiramente amadas.

Ao publicar a sua carta-presente, Kristine Carlson presta, como ela mesma diz, “um tributo à autenticidade da sabedoria de Richard.” Uma hora para viver, uma hora para amar é um livro terno, delicado e profundo, que nos leva a refletir sobre como estamos vivendo. Sabemos valorizar o que temos? Somos autênticos com as pessoas a quem amamos? Olhamos com afeto e com gratidão os que nos são caros? A importante lição que se pode tirar destas páginas é que, mesmo sem passar pelo sofrimento da perda, pode-se viver inteiramente acordado, presente e emocionalmente ligado aos outros. É o que Kristine nos comunica quando diz: “A verdade é que, em meio à mágoa, à saudade e à perda, eu também vivo uma enorme gratidão pela abertura e pelo despertar dessa experiência, ao me comprometer a jamais voltar a andar pela vida como uma sonâmbula”.

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Ano:   Editora: Editora Rocco

Tipo: novo

Editora Rocco Editora Rocco SP - São Paulo
R$ 18,00 + frete R$ 6,05

Total: R$ 24,05

Comprar ler descrição ocultar

Descrição

Richard Carlson é autor dos best-sellers que compõem a série Não faça tempestade em copo d’água, todos publicados pela Editora Rocco. Kristine Carlson foi sua esposa por 21 anos, até que uma embolia pulmonar o matasse subitamente, em 2006, interrompendo a trajetória feliz de Richard, não apenas como o autor que conquistou milhões de fãs nos quatro cantos do mundo, mas como o marido extremamente companheiro e pai amoroso, aos 45 anos de idade.

O objetivo principal dos livros de Richard Carlson foi transmitir às pessoas a arte de diminuir a tensão nas várias situações da vida: na família, no trabalho, na adolescência, nos relacionamentos em geral. Juntamente com Kristine, escreveu Não faça tempestade em copo d’água no amor, baseado na experiência do casal que se empenhou em evitar que a rotina matasse o amor, perseguindo a fórmula ideal de se manter um relacionamento estimulante ao longo dos anos.

Durante o tempo em que viveram juntos, Richard adquiriu o hábito de escrever cartas para Kristine e uma delas lhe foi presenteada três anos antes de sua morte. Em um pacote com um grande laço de fita dourada, colocado sobre o colo de Kristine, ela pôde ver o título: “Uma hora para viver: para quem você ligaria, e por que está esperando?” , complementado pela dedicatória: “Para Kris, o amor da minha vida, em nosso 18o aniversário de casamento” .

Kristine conta que o marido tinha lágrimas nos olhos quando lhe entregou o presente e temeu que ele estivesse despedindo-se ou em vias de confessar-lhe algo terrível, como uma doença terminal. Mas era apenas uma declaração de amor. Ele começa seu texto dizendo que “não” faria ligações, aparentemente importantes, para o seu consultor financeiro, o gerente do banco, seu advogado ou um credor. E, em seguida, dá início à sua amorosa confissão com esta frase: “Não, se eu tivesse apenas uma hora de vida e pudesse fazer apenas uma ligação, ela seria para a minha parceira de vida, Kris” .

O que teria levado Richard a escrever esta carta? Seu sentimento de gratidão, certamente. E também sua capacidade de estimar o valor do outro para sua própria vida. Contrariando a crença popular de que só se valoriza o que se perde, o autor soube avaliar a importância de sua companheira e, de certa forma, preparou-a para viver a sua perda. Não que isto tenha aliviado a dor de Kristine, mas ajudou-a na elaboração do luto, com a consciência do quanto ela e as duas filhas, Jasmine e Kenna, foram tão verdadeiramente amadas.

Ao publicar a sua carta-presente, Kristine Carlson presta, como ela mesma diz, “um tributo à autenticidade da sabedoria de Richard.” Uma hora para viver, uma hora para amar é um livro terno, delicado e profundo, que nos leva a refletir sobre como estamos vivendo. Sabemos valorizar o que temos? Somos autênticos com as pessoas a quem amamos? Olhamos com afeto e com gratidão os que nos são caros? A importante lição que se pode tirar destas páginas é que, mesmo sem passar pelo sofrimento da perda, pode-se viver inteiramente acordado, presente e emocionalmente ligado aos outros. É o que Kristine nos comunica quando diz: “A verdade é que, em meio à mágoa, à saudade e à perda, eu também vivo uma enorme gratidão pela abertura e pelo despertar dessa experiência, ao me comprometer a jamais voltar a andar pela vida como uma sonâmbula”.

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Ano:   Editora: Editora Rocco

Tipo: novo

Editora Rocco Editora Rocco SP - São Paulo
R$ 18,00 + frete R$ 6,05

Total: R$ 24,05

Comprar ler descrição ocultar

Descrição

Richard Carlson é autor dos best-sellers que compõem a série Não faça tempestade em copo d’água, todos publicados pela Editora Rocco. Kristine Carlson foi sua esposa por 21 anos, até que uma embolia pulmonar o matasse subitamente, em 2006, interrompendo a trajetória feliz de Richard, não apenas como o autor que conquistou milhões de fãs nos quatro cantos do mundo, mas como o marido extremamente companheiro e pai amoroso, aos 45 anos de idade.

O objetivo principal dos livros de Richard Carlson foi transmitir às pessoas a arte de diminuir a tensão nas várias situações da vida: na família, no trabalho, na adolescência, nos relacionamentos em geral. Juntamente com Kristine, escreveu Não faça tempestade em copo d’água no amor, baseado na experiência do casal que se empenhou em evitar que a rotina matasse o amor, perseguindo a fórmula ideal de se manter um relacionamento estimulante ao longo dos anos.

Durante o tempo em que viveram juntos, Richard adquiriu o hábito de escrever cartas para Kristine e uma delas lhe foi presenteada três anos antes de sua morte. Em um pacote com um grande laço de fita dourada, colocado sobre o colo de Kristine, ela pôde ver o título: “Uma hora para viver: para quem você ligaria, e por que está esperando?” , complementado pela dedicatória: “Para Kris, o amor da minha vida, em nosso 18o aniversário de casamento” .

Kristine conta que o marido tinha lágrimas nos olhos quando lhe entregou o presente e temeu que ele estivesse despedindo-se ou em vias de confessar-lhe algo terrível, como uma doença terminal. Mas era apenas uma declaração de amor. Ele começa seu texto dizendo que “não” faria ligações, aparentemente importantes, para o seu consultor financeiro, o gerente do banco, seu advogado ou um credor. E, em seguida, dá início à sua amorosa confissão com esta frase: “Não, se eu tivesse apenas uma hora de vida e pudesse fazer apenas uma ligação, ela seria para a minha parceira de vida, Kris” .

O que teria levado Richard a escrever esta carta? Seu sentimento de gratidão, certamente. E também sua capacidade de estimar o valor do outro para sua própria vida. Contrariando a crença popular de que só se valoriza o que se perde, o autor soube avaliar a importância de sua companheira e, de certa forma, preparou-a para viver a sua perda. Não que isto tenha aliviado a dor de Kristine, mas ajudou-a na elaboração do luto, com a consciência do quanto ela e as duas filhas, Jasmine e Kenna, foram tão verdadeiramente amadas.

Ao publicar a sua carta-presente, Kristine Carlson presta, como ela mesma diz, “um tributo à autenticidade da sabedoria de Richard.” Uma hora para viver, uma hora para amar é um livro terno, delicado e profundo, que nos leva a refletir sobre como estamos vivendo. Sabemos valorizar o que temos? Somos autênticos com as pessoas a quem amamos? Olhamos com afeto e com gratidão os que nos são caros? A importante lição que se pode tirar destas páginas é que, mesmo sem passar pelo sofrimento da perda, pode-se viver inteiramente acordado, presente e emocionalmente ligado aos outros. É o que Kristine nos comunica quando diz: “A verdade é que, em meio à mágoa, à saudade e à perda, eu também vivo uma enorme gratidão pela abertura e pelo despertar dessa experiência, ao me comprometer a jamais voltar a andar pela vida como uma sonâmbula”.

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Ano:   Editora: Editora Rocco

Tipo: novo

Editora Rocco Editora Rocco SP - São Paulo
R$ 18,00 + frete R$ 6,05

Total: R$ 24,05

Comprar ler descrição ocultar

Descrição

Richard Carlson é autor dos best-sellers que compõem a série Não faça tempestade em copo d’água, todos publicados pela Editora Rocco. Kristine Carlson foi sua esposa por 21 anos, até que uma embolia pulmonar o matasse subitamente, em 2006, interrompendo a trajetória feliz de Richard, não apenas como o autor que conquistou milhões de fãs nos quatro cantos do mundo, mas como o marido extremamente companheiro e pai amoroso, aos 45 anos de idade.

O objetivo principal dos livros de Richard Carlson foi transmitir às pessoas a arte de diminuir a tensão nas várias situações da vida: na família, no trabalho, na adolescência, nos relacionamentos em geral. Juntamente com Kristine, escreveu Não faça tempestade em copo d’água no amor, baseado na experiência do casal que se empenhou em evitar que a rotina matasse o amor, perseguindo a fórmula ideal de se manter um relacionamento estimulante ao longo dos anos.

Durante o tempo em que viveram juntos, Richard adquiriu o hábito de escrever cartas para Kristine e uma delas lhe foi presenteada três anos antes de sua morte. Em um pacote com um grande laço de fita dourada, colocado sobre o colo de Kristine, ela pôde ver o título: “Uma hora para viver: para quem você ligaria, e por que está esperando?” , complementado pela dedicatória: “Para Kris, o amor da minha vida, em nosso 18o aniversário de casamento” .

Kristine conta que o marido tinha lágrimas nos olhos quando lhe entregou o presente e temeu que ele estivesse despedindo-se ou em vias de confessar-lhe algo terrível, como uma doença terminal. Mas era apenas uma declaração de amor. Ele começa seu texto dizendo que “não” faria ligações, aparentemente importantes, para o seu consultor financeiro, o gerente do banco, seu advogado ou um credor. E, em seguida, dá início à sua amorosa confissão com esta frase: “Não, se eu tivesse apenas uma hora de vida e pudesse fazer apenas uma ligação, ela seria para a minha parceira de vida, Kris” .

O que teria levado Richard a escrever esta carta? Seu sentimento de gratidão, certamente. E também sua capacidade de estimar o valor do outro para sua própria vida. Contrariando a crença popular de que só se valoriza o que se perde, o autor soube avaliar a importância de sua companheira e, de certa forma, preparou-a para viver a sua perda. Não que isto tenha aliviado a dor de Kristine, mas ajudou-a na elaboração do luto, com a consciência do quanto ela e as duas filhas, Jasmine e Kenna, foram tão verdadeiramente amadas.

Ao publicar a sua carta-presente, Kristine Carlson presta, como ela mesma diz, “um tributo à autenticidade da sabedoria de Richard.” Uma hora para viver, uma hora para amar é um livro terno, delicado e profundo, que nos leva a refletir sobre como estamos vivendo. Sabemos valorizar o que temos? Somos autênticos com as pessoas a quem amamos? Olhamos com afeto e com gratidão os que nos são caros? A importante lição que se pode tirar destas páginas é que, mesmo sem passar pelo sofrimento da perda, pode-se viver inteiramente acordado, presente e emocionalmente ligado aos outros. É o que Kristine nos comunica quando diz: “A verdade é que, em meio à mágoa, à saudade e à perda, eu também vivo uma enorme gratidão pela abertura e pelo despertar dessa experiência, ao me comprometer a jamais voltar a andar pela vida como uma sonâmbula”.

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Uma Hora para Viver, uma Hora para Amar

Ano:   Editora: Editora Rocco

Tipo: novo

Editora Rocco Editora Rocco SP - São Paulo
R$ 18,00 + frete R$ 6,05

Total: R$ 24,05

Comprar ler descrição ocultar

Descrição

Richard Carlson é autor dos best-sellers que compõem a série Não faça tempestade em copo d’água, todos publicados pela Editora Rocco. Kristine Carlson foi sua esposa por 21 anos, até que uma embolia pulmonar o matasse subitamente, em 2006, interrompendo a trajetória feliz de Richard, não apenas como o autor que conquistou milhões de fãs nos quatro cantos do mundo, mas como o marido extremamente companheiro e pai amoroso, aos 45 anos de idade.

O objetivo principal dos livros de Richard Carlson foi transmitir às pessoas a arte de diminuir a tensão nas várias situações da vida: na família, no trabalho, na adolescência, nos relacionamentos em geral. Juntamente com Kristine, escreveu Não faça tempestade em copo d’água no amor, baseado na experiência do casal que se empenhou em evitar que a rotina matasse o amor, perseguindo a fórmula ideal de se manter um relacionamento estimulante ao longo dos anos.

Durante o tempo em que viveram juntos, Richard adquiriu o hábito de escrever cartas para Kristine e uma delas lhe foi presenteada três anos antes de sua morte. Em um pacote com um grande laço de fita dourada, colocado sobre o colo de Kristine, ela pôde ver o título: “Uma hora para viver: para quem você ligaria, e por que está esperando?” , complementado pela dedicatória: “Para Kris, o amor da minha vida, em nosso 18o aniversário de casamento” .

Kristine conta que o marido tinha lágrimas nos olhos quando lhe entregou o presente e temeu que ele estivesse despedindo-se ou em vias de confessar-lhe algo terrível, como uma doença terminal. Mas era apenas uma declaração de amor. Ele começa seu texto dizendo que “não” faria ligações, aparentemente importantes, para o seu consultor financeiro, o gerente do banco, seu advogado ou um credor. E, em seguida, dá início à sua amorosa confissão com esta frase: “Não, se eu tivesse apenas uma hora de vida e pudesse fazer apenas uma ligação, ela seria para a minha parceira de vida, Kris” .

O que teria levado Richard a escrever esta carta? Seu sentimento de gratidão, certamente. E também sua capacidade de estimar o valor do outro para sua própria vida. Contrariando a crença popular de que só se valoriza o que se perde, o autor soube avaliar a importância de sua companheira e, de certa forma, preparou-a para viver a sua perda. Não que isto tenha aliviado a dor de Kristine, mas ajudou-a na elaboração do luto, com a consciência do quanto ela e as duas filhas, Jasmine e Kenna, foram tão verdadeiramente amadas.

Ao publicar a sua carta-presente, Kristine Carlson presta, como ela mesma diz, “um tributo à autenticidade da sabedoria de Richard.” Uma hora para viver, uma hora para amar é um livro terno, delicado e profundo, que nos leva a refletir sobre como estamos vivendo. Sabemos valorizar o que temos? Somos autênticos com as pessoas a quem amamos? Olhamos com afeto e com gratidão os que nos são caros? A importante lição que se pode tirar destas páginas é que, mesmo sem passar pelo sofrimento da perda, pode-se viver inteiramente acordado, presente e emocionalmente ligado aos outros. É o que Kristine nos comunica quando diz: “A verdade é que, em meio à mágoa, à saudade e à perda, eu também vivo uma enorme gratidão pela abertura e pelo despertar dessa experiência, ao me comprometer a jamais voltar a andar pela vida como uma sonâmbula”.

Avaliações do livro

Ainda não há avaliações para este título, seja o primeiro a avaliar.

Avalie o livro