A Compra Garantida Estante Virtual é uma garantia de que você receberá a encomenda ou o reembolso do valor da sua compra. Saiba mais aqui.

  • 1.350 sebos e livreiros
  • Qualificações positivas dos livreiros
  • Maior acervo do mundo em língua portuguesa
filtros
Primeiro Como Tragedia Depois Como Farsa Capa ilustrativa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Slavoj Zizek

Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade individual, capitalismo de mercado) para salvar da falência esses mesmos valores. A Žižek parece, portanto, que a utopia democrático-liberal teve de morrer duas vezes, já que o colapso da utopia política do 11 de Setembro não trouxe o fim da utopia econômica do capitalismo de mercado global, o que só ocorreu com a crise financeira de 2008. Para o autor, o mais atual anacronismo vivido pelas nações modernas teve início com a queda do Muro de Berlim, evento histórico que parecia anunciar a vitória da democracia liberal e o surgimento de uma comunidade global sem fronteiras. O 11 de Setembro, no entanto, revelou um movimento oposto com o surgimento de novos muros e contradições: entre Israel e Cisjordânia, em torno da União Europeia, na fronteira entre Estados Unidos e México e até no interior de Estados-nações, que acolhem “cidadãos globais” que vivem isolados em “castelos na Escócia, apartamento em Manhattan e ilha particular no Caribe”, além dos moradores das favelas e bolsões de pobreza, que são o outro lado da mesma moeda. Fechar Ler mais

Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade individual, capitalismo de mercado) para salvar da falência esses mesmos valores. A Žižek parece, portanto, que a utopia democrático-liberal teve de morrer duas vezes, já que o colapso da utopia política do 11 de Setembro não trouxe o fim da utopia econômica do capitalismo de mercado global, o que só ocorreu com a crise financeira de 2008. Para o autor, o mais atual anacronismo vivido pelas nações modernas teve início com a queda do Muro de Berlim, evento histórico que parecia anunciar a vitória da democracia liberal e o surgimento de uma comunidade global sem fronteiras. O 11 de Setembro, no entanto, revelou um movimento oposto com o surgimento de novos muros e contradições: entre Israel e Cisjordânia, em torno da União Europeia, na fronteira entre Estados Unidos e México e até no interior de Estados-nações, que acolhem “cidadãos globais” que vivem isolados em “castelos na Escócia, apartamento em Manhattan e ilha particular no Caribe”, além dos moradores das favelas e bolsões de pobreza, que são o outro lado da mesma moeda. Fechar Ler mais

Estatísticas de venda deste livro

Último vendido Nos últimos 3 meses
Vendidos
Preço médio R$ " + data.stats.mean + "
Menor preço R$ " + data.stats.min + "
Maior preço R$ " + data.stats.max + "

Esta informação aparece apenas para usuários logados como livreiros.

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Exibindo todas as publicações encontradas. Filtre pelas mais recentesRemover filtro
Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Andressa Sawataishi Andressa Sawataishi SP - São Paulo
100% Positivas
7 qualificações
R$ 19,90 + R$ 17,89 de frete Comprar ler descrição ocultar
Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Andressa Sawataishi Andressa Sawataishi SP - São Paulo
100% Positivas
7 qualificações
R$ 19,90 + R$ 17,89 de frete Comprar ler descrição ocultar
Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sonhos Escritos Sonhos Escritos SP - São Paulo
100% Positivas
76 qualificações
R$ 27,00 + R$ 9,26 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sonhos Escritos Sonhos Escritos SP - São Paulo
100% Positivas
76 qualificações
R$ 27,00 + R$ 9,26 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sonhos Escritos Sonhos Escritos SP - São Paulo
100% Positivas
76 qualificações
R$ 27,00 + R$ 9,26 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sonhos Escritos Sonhos Escritos SP - São Paulo
100% Positivas
76 qualificações
R$ 27,00 + R$ 9,26 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sonhos Escritos Sonhos Escritos SP - São Paulo
100% Positivas
76 qualificações
R$ 27,00 + R$ 9,26 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sebo Atitude Sebo Atitude SP - São Paulo
97% Positivas
33 qualificações
R$ 28,99 + R$ 10,10 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO Brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sebo Atitude Sebo Atitude SP - São Paulo
97% Positivas
33 qualificações
R$ 28,99 + R$ 10,10 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO Brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sebo Atitude Sebo Atitude SP - São Paulo
97% Positivas
33 qualificações
R$ 28,99 + R$ 10,10 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO Brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sebo Atitude Sebo Atitude SP - São Paulo
97% Positivas
33 qualificações
R$ 28,99 + R$ 10,10 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO Brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sebo Atitude Sebo Atitude SP - São Paulo
97% Positivas
33 qualificações
R$ 28,99 + R$ 10,10 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO brochura==Em Primeiro como tragédia, depois como farsa – analogia à famosa frase de Karl Marx em O dezoito brumário sobre a repetição dos Bonaparte no poder (Napoleão e Luís) –, o filósofo esloveno Slavoj Žižek sustenta a tese de que vivemos em uma nova etapa do capitalismo global, na qual o mesmo discurso que garantiu uma ofensiva geopolítica após os atentados de 11 de setembro tem encontrado dificuldade em se sustentar no período pós-crise financeira de 2008. Traçando uma argumentação tanto da tragédia como da atual farsa, o autor expõe o cinismo contemporâneo dos pregadores e praticantes da democracia liberal ao analisar o discurso do presidente Bush em dois momentos diferentes que evocam a suspensão parcial dos valores norte-americanos (garantia de liberdade

Primeiro Como Tragedia, Depois Como Farsa

Primeiro Como Tragedia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Sociedade dos Livros Sociedade dos Livros SP - São Paulo
98% Positivas
404 qualificações
R$ 33,00 + R$ 10,95 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição livro novo. Adquirido diretamente da editora

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa Capa ilustrativa

Primeiro Como Tragédia, Depois Como Farsa

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Aleph Virtual Aleph Virtual PR - Curitiba
100% Positivas
55 qualificações
R$ 35,00 + R$ 7,21 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição Novo. J.

Avaliações do livro

Ainda não há avaliações para este título, seja o primeiro a avaliar.

Avalie o livro