A Compra Garantida Estante Virtual é uma garantia de que você receberá a encomenda ou o reembolso do valor da sua compra. Saiba mais aqui.

  • 1.350 sebos e livreiros
  • Qualificações positivas dos livreiros
  • Maior acervo do mundo em língua portuguesa
filtros
Reivindicacao dos Direitos da Mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Mary Wollstonecraft

Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero. A edição também traz uma cronologia da vida e obra de Mary Wollstonecraft e uma página sobre trajetória da escritora em quadrinhos, de Fred Van Lente (adaptação) e Ryan Dunlavey (arte), publicada originalmente na antologia Cânone gráfico, volume 1: clássicos da literatura universal em quadrinhos (Barricada, 2014). Fechar Ler mais

Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básic os no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero. A edição também traz uma cronologia da vida e obra de Mary Wollstonecraft e uma página sobre trajetória da escritora em quadrinhos, de Fred Van Lente (adaptação) e Ryan Dunlavey (arte), publicada originalmente na antologia Cânone gráfico, volume 1: clássicos da literatura universal em quadrinhos (Barricada, 2014). Fechar Ler mais

Estatísticas de venda deste livro

Último vendido Nos últimos 3 meses
Vendidos
Preço médio R$ " + data.stats.mean + "
Menor preço R$ " + data.stats.min + "
Maior preço R$ " + data.stats.max + "

Esta informação aparece apenas para usuários logados como livreiros.

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Capa ilustrativa

97 livros novos em 28 vendedores

Exibindo todas as publicações encontradas. Filtre pelas mais recentesRemover filtro
Reivindicação dos Direitos da Mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Livraria a  Relíquia Livraria a Relíquia SP - São Paulo
100% Positivas
29 qualificações
R$ 36,00 + frete R$ 11,89

Total: R$ 47,89

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Novo, perfeito estado de conservação

Reivindicacao dos Direitos da Mulher

Reivindicacao dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Compre Livros Compre Livros SP - São Paulo
94% Positivas
285 qualificações
R$ 39,75 + frete R$ 9,10

Total: R$ 48,85

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau.

Reivindicacao dos Direitos da Mulher

Reivindicacao dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Compre Livros Compre Livros SP - São Paulo
94% Positivas
285 qualificações
R$ 39,75 + frete R$ 9,10

Total: R$ 48,85

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau.

Reivindicacao dos Direitos da Mulher

Reivindicacao dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Compre Livros Compre Livros SP - São Paulo
94% Positivas
285 qualificações
R$ 39,75 + frete R$ 9,10

Total: R$ 48,85

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau.

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER Capa ilustrativa

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Wesley Cruz Wesley Cruz MG - Belo Horizonte
99% Positivas
298 qualificações
R$ 38,69 + frete R$ 10,53

Total: R$ 49,22

Comprar ler descrição ocultar

Descrição NOVO

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER Capa ilustrativa

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Wesley Cruz Wesley Cruz MG - Belo Horizonte
99% Positivas
298 qualificações
R$ 38,69 + frete R$ 10,53

Total: R$ 49,22

Comprar ler descrição ocultar

Descrição NOVO

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER Capa ilustrativa

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Wesley Cruz Wesley Cruz MG - Belo Horizonte
99% Positivas
298 qualificações
R$ 38,69 + frete R$ 10,53

Total: R$ 49,22

Comprar ler descrição ocultar

Descrição NOVO

Reivindicação dos direitos da mulher

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Livraria 30porcento Livraria 30porcento SP - São Paulo
99% Positivas
186 qualificações
R$ 39,75 + frete R$ 9,63

Total: R$ 49,38

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau.

Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicação dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetória de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da época", diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefácio. Citando a feminista britânica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, "como mulher de razão e mulher de natureza", personifica a tensão e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante - "desperta um sentimento de admiração por essa jovem mulher, capaz de superar tantos obstáculos, que lutou obstinadamente para ser feliz e foi muito além dos limites que seu tempo permitia".

A edição também traz texto de orelha de Diana Assunção, historiadora e militante dos direitos das mulheres (ISKRA); uma cronologia da vida e obra de Mary Wollstonecraft e uma página sobre trajetória da escritora em quadrinhos, de Fred Van Lente (adaptação) e Ryan Dunlavey (arte), publicada originalmente na antologia Cânone gráfico, volume 1: clássicos da literatura universal em quadrinhos (Barricada, 2014).

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Andorra Livros Andorra Livros SP - São Paulo
100% Positivas
34 qualificações
R$ 39,00 + frete R$ 11,05

Total: R$ 50,05

Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO - Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Cod. 956

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Andorra Livros Andorra Livros SP - São Paulo
100% Positivas
34 qualificações
R$ 39,00 + frete R$ 11,05

Total: R$ 50,05

Comprar ler descrição ocultar

Descrição LIVRO NOVO - Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Cod. 957

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Livros Online Livros Online SP - São Paulo
97% Positivas
227 qualificações
R$ 40,90 + frete R$ 9,63

Total: R$ 50,53

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Reivindicação dos Direitos da MulherConsiderado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero. "Reivindicação dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetória de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da época", diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefácio. Citando a feminista britânica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, "como mulher de razão e mulher de natureza", personifica a tensão e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante - "desperta um sentimento de admiração por essa jovem mulher, capaz de superar tantos obstáculos, que lutou obstinadamente para ser feliz e foi muito além dos limites que seu tempo permitia". A edição também traz uma cronologia da vida e obra de Mary Wollstonecraft e uma página sobre trajetória da escritora em quadrinhos, de Fred Van Lente (adaptação) e Ryan Dunlavey (arte), publicada originalmente na antologia Cânone gráfico, volume 1: clássicos da literatura universal em quadrinhos (Barricada

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Livros Online Livros Online SP - São Paulo
97% Positivas
227 qualificações
R$ 40,90 + frete R$ 9,63

Total: R$ 50,53

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Reivindicação dos Direitos da MulherConsiderado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero. "Reivindicação dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetória de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da época", diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefácio. Citando a feminista britânica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, "como mulher de razão e mulher de natureza", personifica a tensão e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante - "desperta um sentimento de admiração por essa jovem mulher, capaz de superar tantos obstáculos, que lutou obstinadamente para ser feliz e foi muito além dos limites que seu tempo permitia". A edição também traz uma cronologia da vida e obra de Mary Wollstonecraft e uma página sobre trajetória da escritora em quadrinhos, de Fred Van Lente (adaptação) e Ryan Dunlavey (arte), publicada originalmente na antologia Cânone gráfico, volume 1: clássicos da literatura universal em quadrinhos (Barricada

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Livros Online Livros Online SP - São Paulo
97% Positivas
227 qualificações
R$ 40,90 + frete R$ 9,63

Total: R$ 50,53

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Reivindicação dos Direitos da MulherConsiderado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero. "Reivindicação dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetória de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da época", diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefácio. Citando a feminista britânica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, "como mulher de razão e mulher de natureza", personifica a tensão e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante - "desperta um sentimento de admiração por essa jovem mulher, capaz de superar tantos obstáculos, que lutou obstinadamente para ser feliz e foi muito além dos limites que seu tempo permitia". A edição também traz uma cronologia da vida e obra de Mary Wollstonecraft e uma página sobre trajetória da escritora em quadrinhos, de Fred Van Lente (adaptação) e Ryan Dunlavey (arte), publicada originalmente na antologia Cânone gráfico, volume 1: clássicos da literatura universal em quadrinhos (Barricada

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Reivindicação dos Direitos da Mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Livros Online Livros Online SP - São Paulo
97% Positivas
227 qualificações
R$ 40,90 + frete R$ 9,63

Total: R$ 50,53

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Reivindicação dos Direitos da MulherConsiderado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero. "Reivindicação dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetória de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da época", diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefácio. Citando a feminista britânica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, "como mulher de razão e mulher de natureza", personifica a tensão e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante - "desperta um sentimento de admiração por essa jovem mulher, capaz de superar tantos obstáculos, que lutou obstinadamente para ser feliz e foi muito além dos limites que seu tempo permitia". A edição também traz uma cronologia da vida e obra de Mary Wollstonecraft e uma página sobre trajetória da escritora em quadrinhos, de Fred Van Lente (adaptação) e Ryan Dunlavey (arte), publicada originalmente na antologia Cânone gráfico, volume 1: clássicos da literatura universal em quadrinhos (Barricada

Reivindicação dos direitos da mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Klaxon livros Klaxon livros SP - São Paulo
98% Positivas
1365 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,16

Total: R$ 52,56

Comprar ler descrição ocultar

Descrição 256 p. Sinopse: Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicação dos direitos da mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Klaxon livros Klaxon livros SP - São Paulo
98% Positivas
1365 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,16

Total: R$ 52,56

Comprar ler descrição ocultar

Descrição 256 p. Sinopse: Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicação dos direitos da mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Klaxon livros Klaxon livros SP - São Paulo
98% Positivas
1365 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,16

Total: R$ 52,56

Comprar ler descrição ocultar

Descrição 256 p. Sinopse: Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicação dos direitos da mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Klaxon livros Klaxon livros SP - São Paulo
98% Positivas
1365 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,16

Total: R$ 52,56

Comprar ler descrição ocultar

Descrição 256 p. Sinopse: Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicação dos direitos da mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Klaxon livros Klaxon livros SP - São Paulo
98% Positivas
1365 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,16

Total: R$ 52,56

Comprar ler descrição ocultar

Descrição 256 p. Sinopse: Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicação dos direitos da mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Klaxon livros Klaxon livros SP - São Paulo
98% Positivas
1365 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,16

Total: R$ 52,56

Comprar ler descrição ocultar

Descrição 256 p. Sinopse: Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicação dos direitos da mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Klaxon livros Klaxon livros SP - São Paulo
98% Positivas
1365 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,16

Total: R$ 52,56

Comprar ler descrição ocultar

Descrição 256 p. Sinopse: Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicação dos direitos da mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Klaxon livros Klaxon livros SP - São Paulo
98% Positivas
1365 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,16

Total: R$ 52,56

Comprar ler descrição ocultar

Descrição 256 p. Sinopse: Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicação dos direitos da mulher Capa ilustrativa

Reivindicação dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Flanarte Flanarte SP - São Paulo
100% Positivas
309 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,16

Total: R$ 52,56

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro novo! X 256 p. Sinopse: Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusão das mulheres do acesso a direitos básicos no século XVIII, especialmente o acesso à educação formal. Escrito em um período histórico marcado pelas transformações que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condição da mulher na sociedade inglesa de então, respondendo a filósofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertária, Mary Wollstonecraft fez de sua própria vida uma defesa da emancipação feminina: envolveu-se na Revolução Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo após o parto de sua segunda filha, não pôde vê-la tornar-se, também, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionário para a época, Reivindicação dos direitos da mulher foi traduzido para vários idiomas, se tornou uma referencia teórica para as precursoras do feminismo contemporâneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussões de gênero.

Reivindicacao dos direitos da mulher

Reivindicacao dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Wtr Livros Wtr Livros SP - Guarulhos
96% Positivas
2332 qualificações
R$ 41,34 + frete R$ 11,53

Total: R$ 52,87

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusao das mulheres do acesso a direitos basicos no seculo XVIII, especialmente o acesso a educacao formal. Escrito em um periodo historico marcado pelas transformacoes que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condicao da mulher na sociedade inglesa de entao, respondendo a filosofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertaria, Mary Wollstonecraft fez de sua propria vida uma defesa da emancipacao feminina: envolveu-se na Revolucao Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo apos o parto de sua segunda filha, nao pode ve-la tornar-se, tambem, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionario para a epoca, Reivindicacao dos direitos da mulher foi traduzido para varios idiomas, se tornou uma referencia teorica para as precursoras do feminismo contemporaneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussoes de genero. Reivindicacao dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetoria de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da epoca , diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefacio. Citando a feminista britanica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, como mulher de razao e mulher de natureza , personifica a tensao e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante.

Reivindicacao dos direitos da mulher

Reivindicacao dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Wtr Livros Wtr Livros SP - Guarulhos
96% Positivas
2332 qualificações
R$ 41,34 + frete R$ 11,53

Total: R$ 52,87

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusao das mulheres do acesso a direitos basicos no seculo XVIII, especialmente o acesso a educacao formal. Escrito em um periodo historico marcado pelas transformacoes que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condicao da mulher na sociedade inglesa de entao, respondendo a filosofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertaria, Mary Wollstonecraft fez de sua propria vida uma defesa da emancipacao feminina: envolveu-se na Revolucao Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo apos o parto de sua segunda filha, nao pode ve-la tornar-se, tambem, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionario para a epoca, Reivindicacao dos direitos da mulher foi traduzido para varios idiomas, se tornou uma referencia teorica para as precursoras do feminismo contemporaneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussoes de genero. Reivindicacao dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetoria de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da epoca , diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefacio. Citando a feminista britanica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, como mulher de razao e mulher de natureza , personifica a tensao e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante.

Reivindicacao dos direitos da mulher

Reivindicacao dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Wtr Livros Wtr Livros SP - Guarulhos
96% Positivas
2332 qualificações
R$ 41,34 + frete R$ 11,53

Total: R$ 52,87

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusao das mulheres do acesso a direitos basicos no seculo XVIII, especialmente o acesso a educacao formal. Escrito em um periodo historico marcado pelas transformacoes que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condicao da mulher na sociedade inglesa de entao, respondendo a filosofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertaria, Mary Wollstonecraft fez de sua propria vida uma defesa da emancipacao feminina: envolveu-se na Revolucao Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo apos o parto de sua segunda filha, nao pode ve-la tornar-se, tambem, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionario para a epoca, Reivindicacao dos direitos da mulher foi traduzido para varios idiomas, se tornou uma referencia teorica para as precursoras do feminismo contemporaneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussoes de genero. Reivindicacao dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetoria de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da epoca , diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefacio. Citando a feminista britanica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, como mulher de razao e mulher de natureza , personifica a tensao e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante.

Reivindicacao dos direitos da mulher

Reivindicacao dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Wtr Livros Wtr Livros SP - Guarulhos
96% Positivas
2332 qualificações
R$ 41,34 + frete R$ 11,53

Total: R$ 52,87

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusao das mulheres do acesso a direitos basicos no seculo XVIII, especialmente o acesso a educacao formal. Escrito em um periodo historico marcado pelas transformacoes que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condicao da mulher na sociedade inglesa de entao, respondendo a filosofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertaria, Mary Wollstonecraft fez de sua propria vida uma defesa da emancipacao feminina: envolveu-se na Revolucao Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo apos o parto de sua segunda filha, nao pode ve-la tornar-se, tambem, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionario para a epoca, Reivindicacao dos direitos da mulher foi traduzido para varios idiomas, se tornou uma referencia teorica para as precursoras do feminismo contemporaneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussoes de genero. Reivindicacao dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetoria de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da epoca , diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefacio. Citando a feminista britanica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, como mulher de razao e mulher de natureza , personifica a tensao e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante.

Reivindicacao dos direitos da mulher

Reivindicacao dos direitos da mulher

Ano:   Editora: Boitempo

Tipo: novo

Wtr Livros Wtr Livros SP - Guarulhos
96% Positivas
2332 qualificações
R$ 41,34 + frete R$ 11,53

Total: R$ 52,87

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Considerado um dos documentos fundadores do feminismo, o livro denuncia a exclusao das mulheres do acesso a direitos basicos no seculo XVIII, especialmente o acesso a educacao formal. Escrito em um periodo historico marcado pelas transformacoes que o capitalismo industrial traria para o mundo, o texto discute a condicao da mulher na sociedade inglesa de entao, respondendo a filosofos como John Gregory, James Fordyce e Jean-Jacques Rousseau. Libertaria, Mary Wollstonecraft fez de sua propria vida uma defesa da emancipacao feminina: envolveu-se na Revolucao Francesa e foi uma precursora do amor livre. Tendo falecido logo apos o parto de sua segunda filha, nao pode ve-la tornar-se, tambem, uma famosa escritora: Mary Shelley, a autora de Frankenstein. Extremamente revolucionario para a epoca, Reivindicacao dos direitos da mulher foi traduzido para varios idiomas, se tornou uma referencia teorica para as precursoras do feminismo contemporaneo, como Simone de Beauvoir, e uma leitura essencial para as discussoes de genero. Reivindicacao dos direitos da mulher resulta tanto de uma trajetoria de lutas militantes de Mary como de seus enfrentamentos contra a moral sexista e conservadora da epoca , diz Maria Lygia Quartim de Moraes, que assina o prefacio. Citando a feminista britanica Sheila Rowbotham, ela argumenta que Mary, como mulher de razao e mulher de natureza , personifica a tensao e as fissuras do Iluminismo, e que a leitura deste livro - escrito em linguagem direta e marcante.

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER Capa ilustrativa

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER

Ano:   Editora: Boitempo Editorial

Tipo: novo

Sebo Simples Sebo Simples SP - São Paulo
99% Positivas
76 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,53

Total: R$ 52,93

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro novo, direto da editora

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER Capa ilustrativa

REIVINDICACAO DOS DIREITOS DA MULHER

Ano:   Editora: Boitempo Editorial

Tipo: novo

Sebo Simples Sebo Simples SP - São Paulo
99% Positivas
76 qualificações
R$ 42,40 + frete R$ 10,53

Total: R$ 52,93

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro novo, direto da editora

Avaliações do livro

Ainda não há avaliações para este título, seja o primeiro a avaliar.

Avalie o livro