A Compra Garantida Estante Virtual é uma garantia de que você receberá a encomenda ou o reembolso do valor da sua compra. Saiba mais aqui.

  • 1.350 sebos e livreiros
  • Qualificações positivas dos livreiros
  • Maior acervo do mundo em língua portuguesa
filtros
As Distancias do Cinema Capa ilustrativa

As Distâncias do Cinema

Jacques Rancière

?Para mim, escrever sobre cinema é assumir ao mesmo tempo duas posições contraditórias. A primeira é que não há nenhum conceito que reúna todos esses cinemas, nenhuma teoria que unifique todos os problemas que eles suscitam. [...] Já a outra posiçãodiz, ao inverso, [...] que o pensamento do cinema é o que circula nesse espaço, pensa no meio dessas distâncias e se esforça para determinar este ou aquele vínculo entre dois cinemas ou dois ?problemas de cinema?. Esta é a posição do amador. [...] A política do amador afirma que o cinema pertence a todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, viajaram dentro do sistema de distâncias que seu nome permite e que cada um pode traçar [...], pois uma arte nunca é apenas uma arte; sempre é, ao mesmo tempo, uma proposta de mundo.? Jacques Rancière    

?Para mim, escrever sobre cinema é assumir ao mesmo tempo duas posições contraditórias. A primeira é que não há nenhum con ceito que reúna todos esses cinemas, nenhuma teoria que unifique todos os problemas que eles suscitam. [...] Já a outra posiçãodiz, ao inverso, [...] que o pensamento do cinema é o que circula nesse espaço, pensa no meio dessas distâncias e se esforça para determinar este ou aquele vínculo entre dois cinemas ou dois ?problemas de cinema?. Esta é a posição do amador. [...] A política do amador afirma que o cinema pertence a todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, viajaram dentro do sistema de distâncias que seu nome permite e que cada um pode traçar [...], pois uma arte nunca é apenas uma arte; sempre é, ao mesmo tempo, uma proposta de mundo.? Jacques Rancière Fechar Ler mais

Estatísticas de venda deste livro

Último vendido Nos últimos 3 meses
Vendidos
Preço médio R$ " + data.stats.mean + "
Menor preço R$ " + data.stats.min + "
Maior preço R$ " + data.stats.max + "

Esta informação aparece apenas para usuários logados como livreiros.

As distâncias do cinema

Capa ilustrativa
Refinar resultado

16 livros novos e 1 livro usado em 9 vendedores

Exibindo todas as publicações encontradas. Filtre pelas mais recentesRemover filtro
As distâncias do cinema Capa ilustrativa

As distâncias do cinema

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Flanarte Flanarte SP - São Paulo
100% Positivas
200 qualificações
R$ 36,00 + frete R$ 8,82

Total: R$ 44,82

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro novo. L3 Dimensão 14 x 21 cm, 166 pág. Sinopse: Jacques Rancière não se considera um filósofo do cinema, um teórico do cinema ou um crítico de cinema. Antes, vê-se como um amador, para quem o cinema, sendo um campo múltiplo e heterogêneo, só pode se constituir na encruzilhada entre experiências, afetos e saberes, entre arte, trabalho e coletividade. Ser um amador, e defender essa posição como política, significa então afirmar que o cinema é um sistema de distâncias irredutíveis entre coisas que têm o mesmo nome sem serem membros de um mesmo corpo. Notável pensador da política, da imagem, da literatura e das artes, neste livro os encontros de Rancière com o cinema se dão por meio de três distâncias: a distância entre cinema e teoria, entre cinema e arte e entre cinema e política.

As Distâncias dos Cinema

As Distâncias dos Cinema

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: seminovo/usado

Idioma: Português

Livraria Humanidades Livraria Humanidades MG - Belo Horizonte
100% Positivas
63 qualificações
R$ 32,70 + frete R$ 14,08

Total: R$ 46,78

Comprar ler descrição ocultar

Descrição No lacre da editora. Novo.

As Distâncias do Cinema

As Distâncias do Cinema

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Sebo Clepsidra Sebo Clepsidra SP - São Paulo
100% Positivas
183 qualificações
R$ 38,90 + frete R$ 8,82

Total: R$ 47,72

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro novo, lacrado! Sinopse: Estudo sobre as relações do cinema com a literatura, o teatro, a filosofia e outras expressões das criação humana.

As Distâncias do Cinema

As Distâncias do Cinema

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Sebo Clepsidra Sebo Clepsidra SP - São Paulo
100% Positivas
183 qualificações
R$ 38,90 + frete R$ 8,82

Total: R$ 47,72

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro novo, lacrado! Sinopse: Estudo sobre as relações do cinema com a literatura, o teatro, a filosofia e outras expressões das criação humana.

As Distâncias do Cinema

As Distâncias do Cinema

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Livraria 30porcento Livraria 30porcento SP - São Paulo
100% Positivas
98 qualificações
R$ 43,20 + frete R$ 6,35

Total: R$ 49,55

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Esta obra pretende apresentar um estudo sobre as relações do cinema com a literatura, o teatro, a filosofia e outras expressões da criação humana.

As Distâncias do Cinema

As Distâncias do Cinema

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Livraria 30porcento Livraria 30porcento SP - São Paulo
100% Positivas
98 qualificações
R$ 43,20 + frete R$ 6,35

Total: R$ 49,55

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Esta obra pretende apresentar um estudo sobre as relações do cinema com a literatura, o teatro, a filosofia e outras expressões da criação humana.

Distâncias do Cinema, As

Distâncias do Cinema, As

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Authentic Livros Authentic Livros SP - São Paulo
100% Positivas
314 qualificações
R$ 41,60 + frete R$ 8,35

Total: R$ 49,95

Comprar ler descrição ocultar

Descrição “Para mim, escrever sobre cinema é assumir ao mesmo tempo duas posições contraditórias. A primeira é que não há nenhum conceito que reúna todos esses cinemas, nenhuma teoria que unifique todos os problemas que eles suscitam. [...] Já a outra posiçãod iz, ao inverso, [...] que o pensamento do cinema é o que circula nesse espaço, pensa no meio dessas distâncias e se esforça para determinar este ou aquele vínculo entre dois cinemas ou dois ‘problemas de cinema’. Esta é a posição do amador. [...] A p olítica do amador afirma que o cinema pertence a todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, viajaram dentro do sistema de distâncias que seu nome permite e que cada um pode traçar [...], pois uma arte nunca é apenas uma arte sempre é, ao mesmo t empo, uma proposta de mundo.” Jacques Rancière

Distâncias do Cinema, As

Distâncias do Cinema, As

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Authentic Livros Authentic Livros SP - São Paulo
100% Positivas
314 qualificações
R$ 41,60 + frete R$ 8,35

Total: R$ 49,95

Comprar ler descrição ocultar

Descrição “Para mim, escrever sobre cinema é assumir ao mesmo tempo duas posições contraditórias. A primeira é que não há nenhum conceito que reúna todos esses cinemas, nenhuma teoria que unifique todos os problemas que eles suscitam. [...] Já a outra posiçãod iz, ao inverso, [...] que o pensamento do cinema é o que circula nesse espaço, pensa no meio dessas distâncias e se esforça para determinar este ou aquele vínculo entre dois cinemas ou dois ‘problemas de cinema’. Esta é a posição do amador. [...] A p olítica do amador afirma que o cinema pertence a todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, viajaram dentro do sistema de distâncias que seu nome permite e que cada um pode traçar [...], pois uma arte nunca é apenas uma arte sempre é, ao mesmo t empo, uma proposta de mundo.” Jacques Rancière

As Distâncias do Cinema

As Distâncias do Cinema

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Miguilim Livros Miguilim Livros SP - Diadema
99% Positivas
93 qualificações
R$ 43,80 + frete R$ 7,87

Total: R$ 51,67

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro novo. 168pp.

As Distâncias do Cinema

As Distâncias do Cinema

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Miguilim Livros Miguilim Livros SP - Diadema
99% Positivas
93 qualificações
R$ 43,80 + frete R$ 7,87

Total: R$ 51,67

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro novo. 168pp.

DISTANCIAS DO CINEMA, AS Capa ilustrativa

DISTANCIAS DO CINEMA, AS

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Uai livros Uai livros MG - Belo Horizonte
99% Positivas
257 qualificações
R$ 52,00 Frete grátis
Comprar ler descrição ocultar

Descrição Estudo sobre as relações do cinema com a literatura, o teatro, a filosofia e outras expressões das criação humana.

DISTANCIAS DO CINEMA, AS Capa ilustrativa

DISTANCIAS DO CINEMA, AS

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Uai livros Uai livros MG - Belo Horizonte
99% Positivas
257 qualificações
R$ 52,00 Frete grátis
Comprar ler descrição ocultar

Descrição Estudo sobre as relações do cinema com a literatura, o teatro, a filosofia e outras expressões das criação humana.

Distâncias do cinema, As

Distâncias do cinema, As

Ano:   Editora: Editora Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Mdx Livros Mdx Livros RJ - Rio de Janeiro
100% Positivas
87 qualificações
R$ 45,86 + frete R$ 7,87

Total: R$ 53,73

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Jacques Rancière não se considera um filósofo do cinema, um teórico do cinema ou um crítico de cinema. Antes, vê-se como um amador, para quem o cinema, sendo um campo múltiplo e heterogêneo, só pode se constituir na encruzilhada entre experiências, afetos e saberes, entre arte, trabalho e coletividade. Ser um amador, e defender essa posição como política, significa então afirmar que o cinema é "um sistema de distâncias irredutíveis entre coisas que têm o mesmo nome sem serem membros de um mesmo corpo". Notável pensador da política, da imagem, da literatura e das artes, neste livro os encontros de Rancière com o cinema se dão por meio de três distâncias: a distância entre cinema e teoria, entre cinema e arte e entre cinema e política. Mas se engana quem supõe que o encontro em questão visa a suprimir essas distâncias. Para Rancière, a distância, ou a separação, é a condição mesma de toda relação. Sendo o cinema, em sua heterogeneidade, um "espaço comum de pensamento", trata-se então de novas mensurações, de ora reduzir, ora repor as distâncias, isto é, de aproximar o que estava distante ou de se distanciar do excessivamente próximo. Ao afirmar que o cinema só existe como uma "fronteira instável que, para existir, precisa ser sempre atravessada", Rancière dedica-se a uma análise que transita pelo interior de diferentes experiências cinematográficas sem submetê-las a enquadramentos conceituais preexistentes. Nessas passagens e tensões, nessas aproximações e distanciamentos entre cineastas tão diversos como Hitchcock, Vertov, Bresson, Minnelli, Rossellini, Straub e Pedro Costa, está a afirmação de que o cinema só é arte contanto que seja mundo: mundo compartilhado para além da realidade material de suas projeções e habitado por formas de vida que são políticas quando são também capazes de estar à altura do que vivem. Ilana FeldmanJacques Rancière é um dos filósofos mais respeitados da atualidade. Professor emérito da Universidade Paris VIII (St. Denis), dedicou-se a pesquisas sobre as classes operárias francesas e lutas políticas marginalizadas da história oficial. Atualmente tem explorado as relações entre estética e política, com ênfase nas artes visuais, em livros como "Le Destin des images" (publicado pela Contraponto), "La Partage du sensible", "Le Spectateur emancipe" e "Aisthesis. Scènes du régime esthétique de l´art"."Para mim, escrever sobre cinema é assumir ao mesmo tempo duas posições contraditórias. A primeira é que não há nenhum conceito que reúna todos esses cinemas, nenhuma teoria que unifique todos os problemas que eles suscitam. [...] Já a outra posição diz, ao inverso, [...] que o pensamento do cinema é o que circula nesse espaço, pensa no meio dessas distâncias e se esforça para determinar este ou aquele vínculo entre dois cinemas ou dois ?problemas de cinema´. Esta é a posição do amador. [...] A política do amador afirma que o cinema pertence a todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, viajaram dentro do sistema de distâncias que seu nome permite e que cada um pode traçar [...], pois uma arte nunca é apenas uma arte; sempre é, ao mesmo tempo, uma proposta de mundo."

Distâncias do cinema, As

Distâncias do cinema, As

Ano:   Editora: Editora Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Mdx Livros Mdx Livros RJ - Rio de Janeiro
100% Positivas
87 qualificações
R$ 45,86 + frete R$ 7,87

Total: R$ 53,73

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Jacques Rancière não se considera um filósofo do cinema, um teórico do cinema ou um crítico de cinema. Antes, vê-se como um amador, para quem o cinema, sendo um campo múltiplo e heterogêneo, só pode se constituir na encruzilhada entre experiências, afetos e saberes, entre arte, trabalho e coletividade. Ser um amador, e defender essa posição como política, significa então afirmar que o cinema é "um sistema de distâncias irredutíveis entre coisas que têm o mesmo nome sem serem membros de um mesmo corpo". Notável pensador da política, da imagem, da literatura e das artes, neste livro os encontros de Rancière com o cinema se dão por meio de três distâncias: a distância entre cinema e teoria, entre cinema e arte e entre cinema e política. Mas se engana quem supõe que o encontro em questão visa a suprimir essas distâncias. Para Rancière, a distância, ou a separação, é a condição mesma de toda relação. Sendo o cinema, em sua heterogeneidade, um "espaço comum de pensamento", trata-se então de novas mensurações, de ora reduzir, ora repor as distâncias, isto é, de aproximar o que estava distante ou de se distanciar do excessivamente próximo. Ao afirmar que o cinema só existe como uma "fronteira instável que, para existir, precisa ser sempre atravessada", Rancière dedica-se a uma análise que transita pelo interior de diferentes experiências cinematográficas sem submetê-las a enquadramentos conceituais preexistentes. Nessas passagens e tensões, nessas aproximações e distanciamentos entre cineastas tão diversos como Hitchcock, Vertov, Bresson, Minnelli, Rossellini, Straub e Pedro Costa, está a afirmação de que o cinema só é arte contanto que seja mundo: mundo compartilhado para além da realidade material de suas projeções e habitado por formas de vida que são políticas quando são também capazes de estar à altura do que vivem. Ilana FeldmanJacques Rancière é um dos filósofos mais respeitados da atualidade. Professor emérito da Universidade Paris VIII (St. Denis), dedicou-se a pesquisas sobre as classes operárias francesas e lutas políticas marginalizadas da história oficial. Atualmente tem explorado as relações entre estética e política, com ênfase nas artes visuais, em livros como "Le Destin des images" (publicado pela Contraponto), "La Partage du sensible", "Le Spectateur emancipe" e "Aisthesis. Scènes du régime esthétique de l´art"."Para mim, escrever sobre cinema é assumir ao mesmo tempo duas posições contraditórias. A primeira é que não há nenhum conceito que reúna todos esses cinemas, nenhuma teoria que unifique todos os problemas que eles suscitam. [...] Já a outra posição diz, ao inverso, [...] que o pensamento do cinema é o que circula nesse espaço, pensa no meio dessas distâncias e se esforça para determinar este ou aquele vínculo entre dois cinemas ou dois ?problemas de cinema´. Esta é a posição do amador. [...] A política do amador afirma que o cinema pertence a todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, viajaram dentro do sistema de distâncias que seu nome permite e que cada um pode traçar [...], pois uma arte nunca é apenas uma arte; sempre é, ao mesmo tempo, uma proposta de mundo."

Distâncias do cinema, As

Distâncias do cinema, As

Ano:   Editora: Editora Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Português

Mdx Livros Mdx Livros RJ - Rio de Janeiro
100% Positivas
87 qualificações
R$ 45,86 + frete R$ 7,87

Total: R$ 53,73

Comprar ler descrição ocultar

Descrição Jacques Rancière não se considera um filósofo do cinema, um teórico do cinema ou um crítico de cinema. Antes, vê-se como um amador, para quem o cinema, sendo um campo múltiplo e heterogêneo, só pode se constituir na encruzilhada entre experiências, afetos e saberes, entre arte, trabalho e coletividade. Ser um amador, e defender essa posição como política, significa então afirmar que o cinema é "um sistema de distâncias irredutíveis entre coisas que têm o mesmo nome sem serem membros de um mesmo corpo". Notável pensador da política, da imagem, da literatura e das artes, neste livro os encontros de Rancière com o cinema se dão por meio de três distâncias: a distância entre cinema e teoria, entre cinema e arte e entre cinema e política. Mas se engana quem supõe que o encontro em questão visa a suprimir essas distâncias. Para Rancière, a distância, ou a separação, é a condição mesma de toda relação. Sendo o cinema, em sua heterogeneidade, um "espaço comum de pensamento", trata-se então de novas mensurações, de ora reduzir, ora repor as distâncias, isto é, de aproximar o que estava distante ou de se distanciar do excessivamente próximo. Ao afirmar que o cinema só existe como uma "fronteira instável que, para existir, precisa ser sempre atravessada", Rancière dedica-se a uma análise que transita pelo interior de diferentes experiências cinematográficas sem submetê-las a enquadramentos conceituais preexistentes. Nessas passagens e tensões, nessas aproximações e distanciamentos entre cineastas tão diversos como Hitchcock, Vertov, Bresson, Minnelli, Rossellini, Straub e Pedro Costa, está a afirmação de que o cinema só é arte contanto que seja mundo: mundo compartilhado para além da realidade material de suas projeções e habitado por formas de vida que são políticas quando são também capazes de estar à altura do que vivem. Ilana FeldmanJacques Rancière é um dos filósofos mais respeitados da atualidade. Professor emérito da Universidade Paris VIII (St. Denis), dedicou-se a pesquisas sobre as classes operárias francesas e lutas políticas marginalizadas da história oficial. Atualmente tem explorado as relações entre estética e política, com ênfase nas artes visuais, em livros como "Le Destin des images" (publicado pela Contraponto), "La Partage du sensible", "Le Spectateur emancipe" e "Aisthesis. Scènes du régime esthétique de l´art"."Para mim, escrever sobre cinema é assumir ao mesmo tempo duas posições contraditórias. A primeira é que não há nenhum conceito que reúna todos esses cinemas, nenhuma teoria que unifique todos os problemas que eles suscitam. [...] Já a outra posição diz, ao inverso, [...] que o pensamento do cinema é o que circula nesse espaço, pensa no meio dessas distâncias e se esforça para determinar este ou aquele vínculo entre dois cinemas ou dois ?problemas de cinema´. Esta é a posição do amador. [...] A política do amador afirma que o cinema pertence a todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, viajaram dentro do sistema de distâncias que seu nome permite e que cada um pode traçar [...], pois uma arte nunca é apenas uma arte; sempre é, ao mesmo tempo, uma proposta de mundo."

distâncias do cinema, as Capa ilustrativa

distâncias do cinema, as

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Não Informado

Livraria Livro Vivo Livraria Livro Vivo SP - São Paulo
96% Positivas
620 qualificações
R$ 44,20 + frete R$ 13,03

Total: R$ 57,23

Comprar ler descrição ocultar

Descrição livro novo nunca manuseado n

distancias do cinema Capa ilustrativa

distancias do cinema

Ano:   Editora: Contraponto

Tipo: novo

Idioma: Não Informado

Livraria Livro Vivo Livraria Livro Vivo SP - São Paulo
96% Positivas
620 qualificações
R$ 46,80 + frete R$ 13,03

Total: R$ 59,83

Comprar ler descrição ocultar

Descrição novo nunca manuseado

Avaliações do livro

Ainda não há avaliações para este título, seja o primeiro a avaliar.

Avalie o livro