A Compra Garantida Estante Virtual é uma garantia de que você receberá a encomenda ou o reembolso do valor da sua compra. Saiba mais aqui.

  • 1.350 sebos e livreiros
  • Qualificações positivas dos livreiros
  • Maior acervo do mundo em língua portuguesa
filtros
O Culto Moderno dos Monumentos Capa ilustrativa

O Culto Moderno dos Monumentos

Alois Riegl

1 de 5 estrelas (1 avaliação)

A importância de Alois Riegl para a constituição da história da arte como disciplina autônoma e a revaloração estética de estilos ? e épocas ? considerados ?menores?, como ocorreu ao barroco, é indisputada. Sua perspectiva formalista antecipa em décadas aquela prevalecente hoje nesse campo: a ênfase na análise da obra como representativa do contexto histórico e não de algum cânone ou padrão ideal; o respeito por toda forma de arte, não distinguindo entre ?maiores? e ?menores?, ?primitivas? ou ?periféricas?; a atenção dada ao papel da recepção, do observador; seu inovador conceito de Kunstwollen (o ?querer [fazer]? da arte) contraposto ao de Konnen (o ?saber fazer?). Este O Culto Moderno dos Monumentos: Sua História e Suas Origens, que a editora Perspectiva publica em sua primeira tradução para o português, é um exemplo sintético da aplicação de seus conceitos e de seu empirismo sensível na abordagem pioneira de como lidar com a conservação dos monumentos ao expor toda a problemática de nossa relação com o que a memória e a história nos legaram.    

A importância de Alois Riegl para a constituição da história da arte como disciplina autônoma e a revaloração estética de estilos ? e épocas ? considerados ?menores?, como ocorreu ao barroco, é indisputada. Sua perspectiva formalista antecipa em décadas aquela prevalecente hoje nesse campo: a ênfase na análise da obra como representativa do contexto histórico e não de algum cânone ou padrão ideal; o respeito por toda forma de arte, não distinguindo entre ?maiores? e ?menores?, ?primitivas? ou ?periféricas?; a atenção dada ao papel da recepção, do observador; seu inovador conceito de Kunstwollen (o ?querer [fazer]? da arte) contraposto ao de Konnen (o ?saber fazer?). Este O Culto Moderno dos Monumentos: Sua História e Suas Origens, que a editora Perspectiva publica em sua primeira tradução para o português, é um exemplo sintético da aplicação de seus conceitos e de seu empirismo sensível na abordagem pioneira de como lidar com a conservação dos monumentos ao expor toda a problemática de nossa relação com o que a memória e a história nos legaram. Fechar Ler mais

Estatísticas de venda deste livro

Último vendido Nos últimos 3 meses
Vendidos
Preço médio R$ " + data.stats.mean + "
Menor preço R$ " + data.stats.min + "
Maior preço R$ " + data.stats.max + "

Esta informação aparece apenas para usuários logados como livreiros.

Culto Moderno dos Monumentos

Capa ilustrativa
Refinar resultado

1 livro novo em 1 vendedor

Exibindo todas as publicações encontradas. Filtre pelas mais recentesRemover filtro
Culto Moderno dos Monumentos Capa ilustrativa

Culto Moderno dos Monumentos

Ano:   Editora: Perspectiva

Tipo: novo

Idioma: Português

Compre Livros Compre Livros SP - São Paulo
92% Positivas
157 qualificações
R$ 22,50 + frete R$ 9,40

Total: R$ 31,90

Comprar ler descrição ocultar

Descrição A importância de Alois Riegl para a constituição da história da arte como disciplina autônoma e a revaloração estética de estilos ¬– e épocas – considerados “menores”, como ocorreu ao barroco, é indisputada. Sua perspectiva formalista antecipa em décadas aquela prevalecente hoje nesse campo: a ênfase na análise da obra como representativa do contexto histórico e não de algum cânone ou padrão ideal; o respeito por toda forma de arte,

Avaliações do livro

1 de 5 estrelas (1 avaliação)

Faça sua avaliação

Avalie o livro

  • Tradução ruim

    Por: Mário Anacleto Sousa Júnior , em 04/01/2019 Eu recomendo este livro

    A tradução do livro que a princípio penso ser baseada a partir do original, em alemão, não está boa. Existem exemplos que nem o autor cita. Palavras que, embora figurem no dicionário da língua portuguesa são utilizadas nesta edição, mas não são correntemente utilizadas em áreas específicas da arquitetura, conservação e filosofia, áreas do conhecimento que abrangem a referida obra. As edições em castelhano que foram as primeiras a chegar no mercado brasileiro ainda são as mais confiáveis.

    Esta avaliação foi útil?