A Compra Garantida Estante Virtual é uma garantia de que você receberá a encomenda ou o reembolso do valor da sua compra. Saiba mais aqui.

  • 1.350 sebos e livreiros
  • Qualificações positivas dos livreiros
  • Maior acervo do mundo em língua portuguesa
filtros
Brancos e Negros Em Sao Paulo Capa ilustrativa

Brancos e Negros Em São Paulo

Roger Bastide e Florestan Fernandes

Após a Segunda Guerra Mundial, a Unesco financiou uma série de pesquisas no Brasil a respeito das relações raciais no país. Tal iniciativa tinha como fulcro a crença de que o Brasil representava um cenário singular no tocante às relações raciais, onde os contatos entre brancos e negros tenderiam para a harmonização, visão que teria sido consagrada pelos trabalhos de Gilberto Freyre. A pedido do órgão mundial, foram realizadas pesquisas no Recife, em Salvador, no Rio de Janeiro e em São Paulo, este último um dos espaços que reservaria enorme riqueza de contrastes para o problema a ser enfrentado. A porção paulistana da pesquisa ficou a cargo de Roger Bastide e de seu pupilo Florestan Fernandes e resultaria no livro Relações raciais entre brancos e negros em São Paulo, publicado pela Anhembi, em 1955. Anos mais tarde, o trabalho seria modificado e republicado com o título Brancos e negros em São Paulo, pela Companhia Editora Nacional, em sua célebre Coleção Brasiliana. Brancos e negros em São Paulo apresenta-se até os dias de hoje como um texto-chave para a compreensão dos meandros que constituíram as formas de discriminação racial no país. O estudo de Bastide e de Fernandes inova ao adotar instrumentos teórico-metodológicos da sociologia crítica para o enfrentamento de uma questão premente do desenvolvimento do país: a inserção do negro na ordem social capitalista brasileira. Representações coletivas sobre o negro, bem como pesquisas de campo a respeito das posições que eles assumiram na sociedade paulistana, são minuciosamente interpretadas pelos dois estudiosos. No atual estágio acalorado de debates sobre as cotas raciais, onde os argumentos anti-racistas universalista e diferencialista se contrapõem, Brancos e negros em São Paulo reaparece oferecendo uma análise criteriosa e desafiadora a respeito de um dos principais nós históricos da formação brasileira. Fechar Ler mais

Após a Segunda Guerra Mundial, a Unesco financiou uma série de pesquisas no Brasil a respeito das relações raciais no país. Tal iniciativa tinha como fulcro a crença de que o Brasil representava um cenário singular no tocante às relações raciais, onde os contatos entre brancos e negros tenderiam para a harmonização, visão que teria sido consagrada pelos trabalhos de Gilberto Freyre. A pedido do órgão mundial, foram realizadas pesquisas no Recife, em Salvador, no Rio de Janeiro e em São Paulo, este último um dos espaços que reservaria enorme riqueza de contrastes para o problema a ser enfrentado. A porção paulistana da pesquisa ficou a cargo de Roger Bastide e de seu pupilo Florestan Fernandes e resultaria no livro Relações raciais entre brancos e negros em São Paulo, publicado pela Anhembi, em 1955. Anos mais tarde, o trabalho seria modificado e republicado com o título Brancos e negros em São Paulo, pela Companhia Editora Nacional, em sua célebre Coleção Brasiliana. Brancos e negros em São Paulo apresenta-se até os dias de hoje como um texto-chave para a compreensão dos meandros que constituíram as formas de discriminação racial no país. O estudo de Bastide e de Fernandes inova ao adotar instrumentos teórico-metodológicos da sociologia crítica para o enfrentamento de uma questão premente do desenvolvimento do país: a inserção do negro na ordem social capitalista brasileira. Representações coletivas sobre o negro, bem como pesquisas de campo a respeito das posições que eles assumiram na sociedade paulistana, são minuciosamente interpretadas pelos dois estudiosos. No atual estágio acalorado de debates sobre as cotas raciais, onde os argumentos anti-racistas universalista e diferencialista se contrapõem, Brancos e negros em São Paulo reaparece oferecendo uma análise criteriosa e desafiadora a respeito de um dos principais nós históricos da formação brasileira. Fechar Ler mais

Estatísticas de venda deste livro

Último vendido Nos últimos 3 meses
Vendidos
Preço médio R$ " + data.stats.mean + "
Menor preço R$ " + data.stats.min + "
Maior preço R$ " + data.stats.max + "

Esta informação aparece apenas para usuários logados como livreiros.

Brancos e Negros Em São Paulo - Encadernado

Brancos e Negros Em São Paulo - Encadernado

Brancos e Negros Em São Paulo - Encadernado

Brancos e Negros Em São Paulo - Encadernado

Ano:   Editora: Cia Ed Nacional

Tipo: seminovo/usado

Sebo Almanaque Sebo Almanaque SP - Franca
98% Positivas
97 qualificações
R$ 30,00 + R$ 9,26 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição Livro em bom estado. Corte amarelado pelo tempo. Sem grifos. Capa dura (encadernado, não contém a capa original). 310 páginas.

Brancos e Negros Em São Paulo

Brancos e Negros Em São Paulo

Ano:   Editora: Global

Tipo: novo

Livraria Virtual Embooks Livraria Virtual Embooks SP - Embu
100% Positivas
43 qualificações
R$ 56,90 + R$ 11,37 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição *LIVRO NOVO* Após a Segunda Guerra Mundial, a Unesco financiou uma série de pesquisas no Brasil a respeito das relações raciais no país. Tal iniciativa tinha como fulcro a crença de que o Brasil representava um cenário singular no tocante às relações raciais, onde os contatos entre brancos e negros tenderiam para a harmonização, visão que teria sido consagrada pelos trabalhos de Gilberto Freyre. A pedido do órgão mundial, foram realizadas pesquisas no Recife, em Salvador, no Rio de Janeiro e em São Paulo, este último um dos espaços que reservaria enorme riqueza de contrastes para o problema a ser enfrentado. A porção paulistana da pesquisa ficou a cargo de Roger Bastide e de seu pupilo Florestan Fernandes e resultaria no livro "Relações Raciais entre Brancos e Negros em São Paulo".

Brancos e Negros Em São Paulo

Brancos e Negros Em São Paulo

Ano:   Editora: Companhia Nacional

Tipo: seminovo/usado

Sebo Brandão Bahia Sebo Brandão Bahia BA - Salvador
99% Positivas
178 qualificações
R$ 115,00 + R$ 10,95 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição ( Ensaio sociológico sôbre aspectos da formação, manifestações atuais e efeitos do preconceito de côr na sociedade paulistana ). ( Brasiliana Volume 305 ). 3ª Edição. 310 págs. 21 cm. Encadernação artesanal. Miolo completo. Grifos à lápis. Carimbo do antigo livreiro. Papel amarelado pela ação do tempo. Conservação regular. ( Negros ) 1ºSS 91/8

Brancos e Negros Em São Paulo

Brancos e Negros Em São Paulo

Ano:   Editora: Companhia Nacional

Tipo: seminovo/usado

Relíquias de Papel Relíquias de Papel SP - São Paulo
100% Positivas
2 qualificações
R$ 170,00 + R$ 10,10 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição Brochura com manchas nas capas, assinatura do antigo dono.Ensaio Sociológico Sobre Aspectos da Formação, Manifestações Atuais e Efeitos do Preconceito de Cor na Sociedade Paulistana. 3 ed. Coleção Brasiliana 305, 310 p.

brancos e negros em sao paulo vol 305

brancos e negros em sao paulo vol 305

Ano:   Editora: Nacional

Tipo: seminovo/usado

Crystal Books Crystal Books SP - Piracicaba
98% Positivas
62 qualificações
R$ 170,00 + R$ 4,74 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição cod. 288942, SOCIOLOGIA SOCIOLOGIA 307 pgs, Est. conservacao: BOM, LINGUA:PORTUGUES BRASIL, ISBN: , AxLxP 21x14x2, PESO(kg) :0.25, ENCADERNACAO : BROCHURA, POSSUI DESGASTE E RASGO NA CAPA,SELO DA LIVRARIA NA PRIMEIRA PAGINA,ASSINATURA DO ANTIGO DONO NA PRIMEIRA PAGINA.

Avaliações do livro

Ainda não há avaliações para este título, seja o primeiro a avaliar.

Avalie o livro