A Compra Garantida Estante Virtual é uma garantia de que você receberá a encomenda ou o reembolso do valor da sua compra. Saiba mais aqui.

  • 1.350 sebos e livreiros
  • Qualificações positivas dos livreiros
  • Maior acervo do mundo em língua portuguesa
filtros
O Mais Potente dos Afetos Spinoza e Nietzsche Capa ilustrativa

O Mais Potente dos Afetos: Spinoza e Nietzsche

André Martins (org.)

Nietzsche, em uma célebre carta enviada a Franz Overbeck em julho de 1881, diz encontrar em Spinoza seu único precursor, e que a partir de então sua solidão (Einsamkeit) passava a ser uma dualidão (Zweisamkeit). Tal pequeno texto é o ponto de partida deste livro. Nele, Nietzsche afirma que sua filosofia e a de Spinoza têm a mesma tendência geral: fazer do conhecimento o mais potente dos afetos. E lista em seguida outros cinco pontos de aproximação entre elas: negar o livre-arbítrio, a teleologia e as causas finais, a ordem moral do mundo, o desinteresse e o mal. No início desse mesmo ano, Nietzsche já havia afirmado que o conhecimento da realidade é aquilo que "aumenta a beleza do mundo e torna mais ensolarado tudo o que há" e que por isso "a felicidade suprema consiste no conhecer", encerrando o aforismo mencionando Spinoza entre aqueles que vivenciaram o conhecimento como um descobrir e inventar. Cada um dos seis pontos de proximidade mencionados na carta é abordado separadamente por um nietzschiano e por um spinoziano, dentre alguns dos mais consagrados especialistas nas filosofias de Spinoza e de Nietzsche do Brasil e da França. A intenção é a de que cada leitor possa chegar a suas próprias conclusões, a partir do cotejamento de um e outro texto sobre cada um dos pontos em questão. Se tanto para Spinoza quanto para Nietzsche o conhecimento é um afeto - e o mais potente dos afetos -, esperamos que este livro possa afetar seu leitor, contribuindo para a vitalidade da pesquisa filosófica atual. Fechar Ler mais

Nietzsche, em uma célebre carta enviada a Franz Overbeck em julho de 1881, diz encontrar em Spinoza seu único precursor, e que a partir de então sua solidão (Einsamkeit) passava a ser uma dualidão (Zweisamkeit). Tal pequeno texto é o ponto de partida deste livro. Nele, Nietzsche afirma que sua filosofia e a de Spinoza têm a mesma tendência geral: fazer do conhecimento o mais potente dos afetos. E lista em seguida outros cinco pontos de aproximação entre elas: negar o livre-arbítrio, a teleologia e as causas finais, a ordem moral do mundo, o desinteresse e o mal. No início desse mesmo ano, Nietzsche já havia afirmado que o conhecimento da realidade é aquilo que "aumenta a beleza do mundo e torna mais ensolarado tudo o que há" e que por isso "a felicidade suprema consiste no conhecer", encerrando o aforismo mencionando Spinoza entre aqueles que vivenciaram o conhecimento como um descobrir e inventar. Cada um dos seis pontos de proximidade mencionados na carta é abordado separadamente por um nietzschiano e por um spinoziano, dentre alguns dos mais consagrados especialistas nas filosofias de Spinoza e de Nietzsche do Brasil e da França. A intenção é a de que cada leitor possa chegar a suas próprias conclusões, a partir do cotejamento de um e outro texto sobre cada um dos pontos em questão. Se tanto para Spinoza quanto para Nietzsche o conhecimento é um afeto - e o mais potente dos afetos -, esperamos que este livro possa afetar seu leitor, contribuindo para a vitalidade da pesquisa filosófica atual. Fechar Ler mais

Estatísticas de venda deste livro

Último vendido Nos últimos 3 meses
Vendidos
Preço médio R$ " + data.stats.mean + "
Menor preço R$ " + data.stats.min + "
Maior preço R$ " + data.stats.max + "

Esta informação aparece apenas para usuários logados como livreiros.

O Mais Potente dos Afetos: Spinoza e Nietzsche

O Mais Potente dos Afetos: Spinoza e Nietzsche

O Mais Potente dos Afetos: Spinoza e Nietzsche

O Mais Potente dos Afetos: Spinoza e Nietzsche

Ano:   Editora: Wmf Martins Fontes

Tipo: novo

Marcelo Costa07 Marcelo Costa07 RJ - Nova Friburgo
100% Positivas
1 qualificações
R$ 55,00 + R$ 10,58 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição Bom estado. Nietzsche, em uma célebre carta enviada a Franz Overbeck, diz encontrar em Spinoza seu único precursor, e que a partir de então sua solidão (Einsamkeit) passava a ser uma dualidão (Zweisamkeit). Tal pequeno texto é o ponto de partida deste livro. Nele, Nietzsche afirma que sua filosofia e a de Spinoza têm a mesma tendência geral: fazer do conhecimento o mais potente dos afetos.

O mais potente dos afetos Capa ilustrativa

O mais potente dos afetos

Ano:   Editora: Wmf Martins Fontes

Tipo: novo

Flanarte Flanarte SP - São Paulo
99% Positivas
2444 qualificações
R$ 59,42 + R$ 8,74 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição 326 p. 21,00 X 14,00 Sinopse: Nietzsche, em uma célebre carta enviada a Franz Overbeck, diz encontrar em Spinoza seu único precursor, e que a partir de então sua solidão (Einsamkeit) passava a ser uma dualidão (Zweisamkeit). Tal pequeno texto é o ponto de partida deste livro. Nele, Nietzsche afirma que sua filosofia e a de Spinoza têm a mesma tendência geral: fazer do conhecimento o mais potente dos afetos.

O mais potente dos afetos Capa ilustrativa

O mais potente dos afetos

Ano:   Editora: Wmf Martins Fontes

Tipo: novo

Flanarte Flanarte SP - São Paulo
99% Positivas
2444 qualificações
R$ 59,42 + R$ 8,74 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição 326 p. 21,00 X 14,00 Sinopse: Nietzsche, em uma célebre carta enviada a Franz Overbeck, diz encontrar em Spinoza seu único precursor, e que a partir de então sua solidão (Einsamkeit) passava a ser uma dualidão (Zweisamkeit). Tal pequeno texto é o ponto de partida deste livro. Nele, Nietzsche afirma que sua filosofia e a de Spinoza têm a mesma tendência geral: fazer do conhecimento o mais potente dos afetos.

O mais potente dos afetos Capa ilustrativa

O mais potente dos afetos

Ano:   Editora: Wmf Martins Fontes

Tipo: novo

Flanarte Flanarte SP - São Paulo
99% Positivas
2444 qualificações
R$ 59,42 + R$ 8,74 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição 326 p. 21,00 X 14,00 Sinopse: Nietzsche, em uma célebre carta enviada a Franz Overbeck, diz encontrar em Spinoza seu único precursor, e que a partir de então sua solidão (Einsamkeit) passava a ser uma dualidão (Zweisamkeit). Tal pequeno texto é o ponto de partida deste livro. Nele, Nietzsche afirma que sua filosofia e a de Spinoza têm a mesma tendência geral: fazer do conhecimento o mais potente dos afetos.

O mais potente dos afetos Capa ilustrativa

O mais potente dos afetos

Ano:   Editora: Wmf Martins Fontes

Tipo: novo

Flanarte Flanarte SP - São Paulo
99% Positivas
2444 qualificações
R$ 59,42 + R$ 8,74 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição 326 p. 21,00 X 14,00 Sinopse: Nietzsche, em uma célebre carta enviada a Franz Overbeck, diz encontrar em Spinoza seu único precursor, e que a partir de então sua solidão (Einsamkeit) passava a ser uma dualidão (Zweisamkeit). Tal pequeno texto é o ponto de partida deste livro. Nele, Nietzsche afirma que sua filosofia e a de Spinoza têm a mesma tendência geral: fazer do conhecimento o mais potente dos afetos.

O mais potente dos afetos Capa ilustrativa

O mais potente dos afetos

Ano:   Editora: Wmf Martins Fontes

Tipo: novo

Flanarte Flanarte SP - São Paulo
99% Positivas
2444 qualificações
R$ 59,42 + R$ 8,74 de frete Comprar ler descrição ocultar

Descrição 326 p. 21,00 X 14,00 Sinopse: Nietzsche, em uma célebre carta enviada a Franz Overbeck, diz encontrar em Spinoza seu único precursor, e que a partir de então sua solidão (Einsamkeit) passava a ser uma dualidão (Zweisamkeit). Tal pequeno texto é o ponto de partida deste livro. Nele, Nietzsche afirma que sua filosofia e a de Spinoza têm a mesma tendência geral: fazer do conhecimento o mais potente dos afetos.

Avaliações do livro

Ainda não há avaliações para este título, seja o primeiro a avaliar.

Avalie o livro